Filme- Madame Curie

Madame Curie

Mostra como a paixão pela ciência pode ser algo fascinante.

Baseado na História Real do Casal francês Marie e Pierre Curie que trabalharam anos  juntos e ganharam um prêmio Nobel de Física . 8  Anos depois,   Marie  ganhou outro NOBEL, agora de Química  sozinha…

Marie Foi a primeira pessoa a receber duas vezes o Prêmios Nobel. Linus Pauling repetiu o feito, ganhando o Nobel de Química, em 1954 e o Nobel da Paz em 1962 e tornou-se a única personalidade a ter recebido dois Prémios Nobel não compartilhados. Por outro lado, Marie Curie foi a única pessoa a receber duas vezes o Prémio Nobel, em áreas científicas.

Sua filha mais velha, Irène Joliot-Curie, recebeu o Nobel de Química de 1935, ano seguinte à morte de Marie.

A sua filha, Éve Curie, escreveu a mais famosa das biografias da cientista, traduzida em vários idiomas. Esta obra deu origem em 1943 ao argumento do filme: “Madame Curie”, realizado por Mervyn LeRoy e com Greer Garson no papel de Marie Curie.

Poster de «Madame Curie»
  • Estados Unidos   1943
  • Drama  124m

Poster de «Madame Curie»

SINOPSE

Marie, uma jovem polaca estudante de física, casa com Doutor Pierre Curie, em cujo laboratório trabalhava há algum tempo. Na lua de mel decidem descobrir o que provoca o estranho efeito que o Prof. Becquerel assinalou ser provocado pelas pedras de urânio/tório. Após muitas experiências descobrem que deve haver mais elementos radioativos que a aqueles dois, e tentam isolá-los.

O Diário de Anne Frank

Filme bastante fiel ao livro – O diário de Anne Frank

Recomendo!!! 2a Guerra Mundial vista pelos medos , anseios e esperanças de uma jovem

Informações Técnicas
Título no Brasil:  O Diário de Anne Frank
Título Original:  The Diary of Anne Frank
País de Origem:  EUA
Gênero:  Drama
Tempo de Duração: 171 minutos
Ano de Lançamento:  1959
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.:  Fox Home Entertainment
Direção:  George Stevens

SINOPSE:

A épica adaptação para as telas assinada por George Stevens de um dos mais comoventes documentos surgidos após a 2ª Guerra Mundial: o diário de uma garota judia de treze anos de idade, chamada Anne Frank. Para escapar aos horrores da perseguição nazista, Otto Frank (Joseph Schildkraut) escondeu sua esposa (Gusti Huber) e suas duas filhas, Anne (Millie Perkins) e Margot (Diane Baker) em um sótão desocupado em Amsterdã por dois anos. Lá, também escondidos, estavam o Sr. e Sra. Van Daan (Lou Jacobi & Shelly Winters), seu filho Peter (Richard Beymer) e um dentista, o Sr. Dussel (Ed Wynn). Em seu diário, Anne registra as dificuldades e medos das pessoas à sua volta que tentavam viver uma vida normal mesmo confinados no minúsculo sótão, estando todo o tempo sob ameaça de serem descobertos pela Gestapo. O estresse e a tensão quase insuportável da situação são habilmente expostos neste filme marcante e tocante.

Questão do ENEM sobre o Acelerador de Partículas LHC

Leia primeiro o POST sobre Aceleradores de Partículas:

https://profhelmafisica.wordpress.com/2009/02/28/aceleradores-de-particulas/

Questão do ENEM:

“Quatro, três, dois, um… Vá!”

O relógio marcava 9h32min (4h32min em Brasília) na sala de comando da Organização Européia de Pesquisa Nuclear (CERN), na fronteira da Suíça com a França, quando o narrador anunciou o surgimento de um flash branco nos dois telões. Era sinal de que o experimento científico mais caro e mais complexo da humanidade tinha dado seus primeiros passos rumo à simulação do Big Bang, a grande explosão que originou o universo. A plateia, formada por jornalistas e cientistas, comemorou com aplausos assim que o primeiro feixe de prótons foi injetado no interior do Grande Colisor de Hadrons (LHC – Large Hadrons Collider),um túnel de 27 km de circunferência construído a100 mde profundidade. Duas horas depois, o segundo feixe foi lançado, em sentido contrário. Os feixes vão atingir velocidade próxima à da luz e, então, colidirão um com o outro. Essa colisão poderá ajudar a decifrar mistérios do universo.
CRAVEIRO, R. “Máquina do Big Bang” é ligada. Correio Braziliense, Brasília, 11 set. 2008, p. 34. (com adaptações).

Segundo o texto, o experimento no LHC fornecerá dados que possibilitarão decifrar os mistérios do universo. Para analisar esses dados provenientes das colisões no LHC, os pesquisadores utilizarão os princípios de transformação da energia. Sabendo desses princípios, pode-se afirmar que

(A) as colisões podem ser elásticas ou inelásticas e, em ambos os casos, a energia cinética total se dissipa na colisão.
(B) a energia dos aceleradores é proveniente da energia liberada nas reações químicas no feixe injetado no interior do Grande Colisor.
(C) o feixe de partículas adquire energia cinética proveniente das transformações de energia ocorridas na interação do feixe com os aceleradores.
(D) os aceleradores produzem campos magnéticos que não interagem com o feixe, já que a energia preponderante das partículas no feixe é a energia potencial.
(E) a velocidade das partículas do feixe é irrelevante nos processos de transferência de energia nas colisões, sendo a massa das partículas o fator preponderante.

*********************************************************

Questão  – Gabarito: C
Habilidade 20 – Caracterizar causas ou efeitos dos movimentos de partículas, substâncias, objetos ou corpos celestes.

Questões do ENEM- selecionadas

 

O ENEM apresenta uma abordagem diferenciada de questões.

A parte relacionada a Física apresenta-se na forma de conceitos, textos, aplicações ao cotidiano e relacionadas a outras disciplinas/áreas do conhecimento.

Selecionei algumas questões de provas de ENEM anteriores, relacionadas a Física e ENERGIA.

Tente primeiro responder às questões e depois conferir o gabarito que está em outro link.

Bons estudos.

Prof Helma

 

Clique aqui: Questões ENEM- Física- ENERGIA

 

Clique aqui: Gabarito-

 

Aproveite o BLOG !!!

 

Fique à vontade para ler sobre Física, Astronomia, Notícias relacionadas a ciência e tecnologia, Arte, Filmes, Livros  etc.

 

Deixe comentários ! Sugestões são sempre bem-vindas !

Obrigada pela visita!

Prof Helma

por Prof Helma- Física Postado em Diversos

Exposição de ficção científica

Metrô de São Paulo recebe exposição de ficção científica

A atração gratuita tem início amanhã (27/5), e vai até dia 12 de junho, na Estação Paraíso

26 de Maio de 2011 | 15:00h
Godzilla (Foto: Reprodução)
Godzilla

O metrô de São Paulo vai receber uma exposição gratuita de ficção científica entre os dias 27 de maio e 12 de junho. O evento é parte do “15º Cultura Inglesa Festival”, promovido pelo projeto “Encontros”, que traz atrações gratuitas às linhas do transporte público paulistano.

A exposição terá jogos de videogame, revistas e outras mídias, que contarão a história da ficção científica britânica através de um painel com linha do tempo interativa. Uma sessão de cinema também estará disponível ao público. Filmes como Guerra dos Mundos (Byron Haskin, 1953),Frankenstein (James Whale, 1931) e 2001 – Uma Odisseia no Espaço (Stanley Kubrick, 1968) serão exibidos a partir do segundo dia de exposição.

No dia 28, o local também contará com um grande debate sobre o assunto, dirigido por Roberto Causo, jornalista e editor de ficção científica, e Rogério de Campos, curador do 15º Cultura Inglesa Festival e diretor da Conrad Editora.

A atração está aberta à visitação das 5h às 0h (horário de funcionamento do metrô) dentro da estação Paraíso. Para ter acesso ao local é preciso pagar o valor do bilhete e atravessar a catraca.

Para mais informações, acesse a programação completa no site do Cultura Inglesa Festival.

Exposição multimídia – Ficção Científica Britânica

Data: 27/05 a 12/06

Hora: 05:00

Local: Estação Paraíso do Metrô

Entrada: Gratuita para usuários do metrô

Essa é para mergulhar de cabeça num mundo fantástico.

A estação Paraíso do Metrô ganha uma linha do tempo interativa no espaço do Projeto Encontros. Você poderá passear por entre painéis, vídeos, fotos, música, revistas, quadrinhos e muita informação.

Além desse passeio que conta a história da ficção científica britânica, você ainda pode se divertir no totem de games ou relaxar em um delicioso puff para devorar um livro. Para completar, tem o espaço do cinema, com discussões quentes sobre o tema e os filmes “Frankenstein”, “2001 – Uma Odisseia no Espaço”, “1984″ (imagem acima), “Guerra dos Mundos”, “O Homem que Caiu na Terra” e “Brazil”.
.


Mapa do Universo

Universo

O mapa será exibido hoje (26/5) no 218º encontro da Sociedade Astronômica Americana

26 de Maio de 2011 | 15:07h

Divulgação
Mapa 3D do universo
Depois de quase 10 anos em construção, o mais completo mapa 3D do Universo foi criado. Ele mostra uma estrutura de 380 milhões de anos-luz, que inclui 45.000 galáxias vizinhas à nossa. Especialistas planejam exibi-lo nesta quinta-feira (26/5) durante o 218º encontro da Sociedade Astronômica Americana.

“Ele (mapa) cobre 95% do céu”, disse Karen Masters, pesquisadora da Universidade de Portsmouth, na Inglaterra, e uma das responsáveis pela apresentação. “No infravermelho, nossa visão não é tão afetada pelo lamaçal que é a Via Láctea, nos tornando capazes de ver, de forma ainda mais clara, como é a galáxia”.

Para fazê-lo, astrônomos usaram dados dos projetos 2MASS (Two-Micron All-Sky Survey) e 2MRS (Redshift Survey). Também foram coletadas informações por outras pesquisas a partir do escaneamento do espaço com luzes em infravermelho nos observatórios de Cerro Tololo Inter-American Observatory e Fred Lawrence Whipple Observatory, localizados, respectivamente, no Chile e nos Estados Unidos.

SESI paulista apresenta a exposição A Arte na Mecânica do Movimento

SESI paulista apresenta a exposição A Arte na Mecânica do Movimento
07/04/11 – 09h46 | Cultura

São Paulo – a Galeria de Arte do Serviço Social da Indústria de São Paulo (SESI/SP) que fica na Avenida Paulista, está apresentando, entre 19 de abril e 30 de junho de 2011, a exposição A Arte na Mecânica do Movimento.

A mostra, com curadoria compartilhada pela municipalidade de Sainte-Croix, Suíça, e pelo historiador Lucas Bittencourt, apresentará a vocação da cidade para a mecânica de precisão e a passagem do trabalho artesanal para o industrial, materializados nas caixas de música e autômatos.

Pela primeira vez no Brasil, a exposição, uma parceria entre o SESI/SP e a municipalidade de Sainte-Croix, está estruturada em três núcleos temáticos: História, Música e Autômatos.

O primeiro tem caráter introdutório e situa geograficamente a comunidade de Sainte-Croix, em sua montanhosa região de invernos rigorosos que marcam o cotidiano do local. Neste núcleo será contada rapidamente a história da região, com o desenvolvimento das técnicas de mecânica de precisão, como a relojoaria e as primeiras caixas de música. Este módulo conta também o processo de industrialização do trabalho e da chegada de fábricas produtoras de discos de música, gramofones, máquinas de escrever, câmeras super 8, rádios e outros produtos como isqueiros, fixações de esqui e ferramentas.

No segundo núcleo figura a longa tradição e excelência de Sainte-Croix para a criação de mecanismos de música. Esses mecanismos necessitavam de caixas de madeira com melhores propriedades acústicas. Por isso, um delicado e preciso trabalho de marchetaria foi desenvolvido. Era preciso que as caixas apresentassem a mesma sofisticação dos mecanismos musicais que guardavam.

Também existem as estações musicais automatizadas, que funcionavam com moedas em locais públicos. As estações incorporavam as técnicas das caixas musicais, com instrumentos de sopro, percussão e cordas. Muitas estações tinham pequenas bonecas dançarinas: os autômatos musicais.

No terceiro núcleo estão incluídos desde pequenos autômatos musicais, como os pássaros cantores, aos autômatos tradicionais de Michel Bertrand, com sofisticados movimentos que emulam truques mágicos, pierrôs escrevendo cartas e equilibristas. Além disso, também constam do acervo os autômatos modernos produzidos por François Junod, discípulo de Michel Bertrand.

O Futuro Chegou !

Já imaginou atender seu iPhone pela palma da mão, sem pegá-lo fisicamente?

Pesquisador da Alemanha criou protótipo de dispositivo que permite transferir o touchscreen do smartphone para a palma da mão

23 de Maio de 2011 | 18:47h
Engadget
Touchscreen na palma da mão

Segundo o site Engadget, Patrick Baudisch, junto com um time de pesquisadores do Instituto Hasso-Plattner, de Potsdam, na Alemanha, criou uma interface que pode transferir o touchscreen do iPhone para a palma da mão. Com a novidade, usuários do smartphone da Apple poderiam atender seus aparelhos enquanto tomam banho ou até lavam louça, sem precisar pegá-lo fisicamente.

A tecnologia inclui uma câmera, que registra os movimentos do dedo da pessoa por toda a palma da mão e um software especial que determina as ações que estes gestos executariam no iPhone. Então, o programa transmite os comandos para o telefone físico, via Wi-Fi, que passa a ser acessado remotamente.

O celular imaginário não exige que as pessoas aprendam novos gestos, mas depende, exclusivamente, da memória dos usuários, que precisam se lembrar exatamente a posição dos botões do aparelho e reproduzi-las na palma da mão.

O pesquisador e sua equipe descobriram que os donos dos iPhones podem determinar a posição de dois terços de seus aplicativos em suas mãos, sem nem precisar olhar para o aparelho. Mas, para que a tecnologia funcione com precisão, é necessário memorizar a posição de todas as ferramentas.

No momento, o protótipo ainda envolve equipamentos grandes, mas Baudisch espera incorporar uma câmera menor para que todos possam usufruir da tecnologia de forma mais confortável.

No vídeo abaixo é possível ver o protótipo em ação.

 

Matéria Escura

Espaço

Telescópio da NASA confirma que energia escura é real

Redação do Site Inovação Tecnológica – 20/05/2011

Telescópio Galex confirma que energia escura é real

Os resultados dão suporte para a principal interpretação sobre como funciona a energia escura, e mais uma vez dão razão a Albert Einstein sobre a gravidade e a constante cosmológica. [Imagem: NASA/JPL-Caltech]

Expansão do Universo

Uma pesquisa que durou cinco anos e cobriu 200.000 galáxias, levou a uma das melhores confirmações de que é mesmo a energia escura que está acelerando a expansão doUniverso.

O estudo, que representa um retorno de até sete bilhões de anos no tempo cósmico, usou dados da sonda espacial Galex (Galaxy Evolution Explorer: Exploração da Evolução das Galáxias) e do Telescópio Anglo-Australiano instalado na montanha Siding Spring, na Austrália.

Os resultados dão suporte para a principal interpretação sobre como funciona aenergia escura – como uma força constante, afetando uniformemente o Universo e impulsionando sua expansão.

Por decorrência, os dados contradizem uma teoria alternativa, que propõe que seria a gravidade, e não a energia escura, a força que impulsionaria a expansão do Universo. De acordo com esta teoria alternativa, com a qual os novos resultados não são consistentes, o conceito de Albert Einstein da gravidade estaria errado, e gravidade tornar-se-ia repulsiva, ao invés de atrativa, quando atuando em grandes distâncias.

“Os resultados nos dizem que a energia escura é uma constante cosmológica, como Einstein propôs. Se a gravidade fosse a responsável, então não estaríamos vendo esses efeitos constantes da energia escura ao longo do tempo,” explica Chris Blake, da Universidade de Tecnologia Swinburne, na Austrália, e líder da pesquisa.

Energia escura

Acredita-se que a energia escura domine o nosso Universo, perfazendo cerca de 74 por cento dele. A matéria escura, uma substância não menos misteriosa, é responsável por 22 por cento. A chamada matéria normal, ou matéria bariônica – qualquer coisa que tenha átomos – representa apenas cerca de 4% do cosmos.

ideia da energia escura foi proposta durante a última década, com base em estudos de estrelas distantes que explodiram, conhecidas como supernovas.

As supernovas emitem uma luz constante e mensurável, o que as torna uma referência inigualável, que permite o cálculo de sua distância da Terra com grande precisão.

As observações revelaram que algo – que veio a ser chamado de energia escura – estava fazendo aumentar a aceleração desses objetos celestes.

Telescópio Galex confirma que energia escura é real

O observatório de ultravioleta GALEX (Galaxy Evolution Explorer) foi lançado no dia 28 de Abril de 2003. [Imagem: NASA/JPL-Caltech]

Energia escura versus gravidade

A energia escura disputa um cabo-de-guerra com a gravidade.

A teoria atual propõe que, no início do Universo, a gravidade assumiu a liderança, dominando a energia escura.

Cerca de 8 bilhões de anos após o Big Bang, com o espaço se ampliando e a matéria se diluindo, as atrações gravitacionais enfraqueceram e a energia escura tirou o atraso.

Se isto estiver correto, daqui a bilhões de anos a energia escura será ainda mais dominante.

Os astrônomos preveem que o nosso Universo será um verdadeiro deserto cósmico, com as galáxias se distanciando tanto umas das outras que quaisquer seres que viverem dentro delas não serão capazes de ver outras galáxias.

Era da energia escura

Esta é a primeira vez que astrônomos fazem essa checagem cobrindo todo o período de vida do Universo desde que ele foi dominado pela energia escura.

A equipe começou montando o maior mapa tridimensional já feito das galáxias do Universo distante. Isto foi feito pelo Telescópio de ultravioleta GALEX, que mapeou cerca de três quartos do céu, observando centenas de milhões de galáxias.

O Telescópio Anglo-Australiano coletou informações detalhadas sobre a luz de cada galáxia, o que permitiu estudar o padrão de distância entre elas – ondas sônicas do Universo jovem deixaram marcas nos padrões de galáxias, fazendo com que pares de galáxias sejam separados por aproximadamente 500 milhões de anos-luz.

Essa “régua padrão” foi usada para determinar a distância entre os pares de galáxias e a Terra – quanto mais próximo um par de galáxia estiver de nós, mais distantes elas irão aparecer uma da outra no céu.

Tal como acontece com os estudos de supernovas, estes dados de distância foram combinados com informações sobre as velocidades nas quais os pares estão se afastando de nós, revelando, mais uma vez, que o tecido do espaço está se esticando cada vez mais rápido.

Bibliografia:

The WiggleZ Dark Energy Survey: the selection function and z= 0.6 galaxy power spectrum.
Chris Blake, Sarah Brough, Matthew Colless, Warrick Couch, Scott Croom, Tamara Davis, Michael J. Drinkwater, Karl Forster, Karl Glazebrook, Ben Jelliffe, Russell J. Jurek, I-hui Li, Barry Madore, Chris Martin, Kevin Pimbblet, Gregory B. Poole, Michael Pracy, Rob Sharp, Emily Wisnioski, David Woods, Ted Wyder
Monthly Notices of the Royal Astronomical Society
18 May 2010
Vol.: 406, Issue 2, pages 803-821
DOI: 10.1111/j.1365-2966.2010.16747.x