Aproveite o BLOG !!!

 

Fique à vontade para ler sobre Física, Astronomia, Notícias relacionadas a ciência e tecnologia, Arte, Filmes, Livros  etc.

 

Deixe comentários ! Sugestões são sempre bem-vindas !

Obrigada pela visita!

Prof Helma

Anúncios
por Prof Helma- Física Postado em Diversos

Choque Elétrico e suas consequências – Texto e Questões

Atividade para alunos de 3a série

Atenção: (clique no título a seguir se quiser baixar em .pdf) texto e questoes- choque eletrico

Leia o texto e responda as questões propostas a seguir.

Texto:

texto- choque eletrico parte 1 Observemos que, ao contrário do que se pensa comumente, as correntes elétricas mais perigosas têm intensidades relativamente baixas (100mA a 200mA), podendo ser obtidas em eletrodomésticos comuns de   110 V ou 220 V. As   correntes   mais   intensas,   embora   provoquem   desmaios   e   fortes queimaduras, não causam a morte se o socorro é imediato. Pessoas acometidas de choques causados por altas tensões reagem, em geral, mais rapidamente à respiração artificial do que aquelas afetadas por choques motivados por baixas tensões. O socorro a uma vítima de choque começa pelo corte da tensão elétrica causadora do mesmo. Isto deve ser feito interrompendo-se o circuito. Na impossibilidade dessa interrupção, sugere-se puxar ou empurrar a pessoa com um material isolante, como, por exemplo, uma corda, um pedaço de madeira seca, etc. Esse primeiro socorro deve ser feito o mais rápido possível, pois a resistência da pele na região do contato elétrico diminui, o que provoca elevação da intensidade de corrente. Entretanto, deve-se tomar o cuidado de não provocar contatos indevidos com a pessoa afetada pelo choque, pois a reação instintiva de puxá-la manualmente pode provocar mais uma vítima. Se, após livrar-se da corrente, a pessoa estiver inconsciente e sem respirar, a respiração artificial deverá iniciar-se imediatamente. O processo de ressuscitação não deve ser interrompido, até que um médico admita não haver mais esperanças. Isto pode durar até oito horas. Observe-se que a eventual ausência de pulso não significa, necessariamente, que a vítima não sobreviverá. texto- choque eletrico parte 3 texto- choque eletrico parte 2

Questões:  Choque Elétrico e suas consequências

Prof. Helma- 3a série

1)   Qual a causa do choque elétrico?

2)   Qual é o fator mais relevante nas sensações e consequências de um choque elétrico ?

3)   Voltagens pequenas podem causar danos graves aos seres humanos? Explique.

4)   Se uma pessoa com a pele seca tocar uma tomada de 220V, seu corpo será atravessado por uma corrente de que intensidade?O que a pessoa sente?

5)   Se uma pessoa com a pele molhada tocar uma tomada de 220V, seu corpo será atravessado por uma corrente de que intensidade?O que a pessoa sente?

6)   Mesmo com a pele seca e contatos através de isolantes, uma tensão muito elevada pode ser perigosa? Explique.

7)   Explique por que um pássaro pode ficar pousado num fio de alta tensão sem ser eletrocutado.

8)   Como podemos socorrer uma pessoa que está sendo vítima de um choque elétrico ?

ENERGIA 2018

 
Para a 3a série – ENERGIA
Clique nos títulos para baixar os textos:

1-Fontes de Energia

2 – Como é o funcionamento de uma Usina

***********************************************************************************

Para quem preferir, abaixo os mesmos arquivos em formato  “.pdf “

1- Fontes de Energia

2 – Como e o funcionamento de uma Usina

*************************************************************************************

 

veja também o vídeo : Por dentro de Itaipu

itaipu.jpg

                                               Itaipu Binacional. Julho de 2016

*************************************************************************************

Você sabia que a USP tem uma usina de energia solar?

Sistemas que a compõem estão localizados na Cidade Universitária e produzem 1% da energia elétrica do campus

Veja a notícia completa e o vídeo em :

http://jornal.usp.br/universidade/voce-sabia-que-a-usp-tem-uma-usina-de-energia-solar/

 

 

Mulheres na Física !

 Essas maravilhosas mulheres, sendo maioria desconhecida ao público, foram algumas das mulheres extremamente importantes para a física.

 

Importante: A lista não está em ordem de importância, pois nem podemos comparar essas mulheres geniais.

mulheres na fisica

Para maiores informações seguem links de apoio:Sonja Ashauer
http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=085782&pagfis=138&pesq=sonja+ashauer+morte

Elisa Frota Pessoa

www.sbfisica.org.br/bjp/files/v34_1461.pdf

 

Marie Curie

Família Curie

Nenhuma família recebeu mais prêmios Nobel do que a família da cientista Marie Curie (foto): três no total. Ela mesma é a única mulher até hoje a ter recebido dois prêmios, um de Física, em 1903 – dividido com seu colega pesquisador (e marido) Pierre Curie -, e um em Química, em 1911. A filha do casal, Irène Joliot-Curie, seguiu os passos dos pais e ganhou o Nobel de Química em 1935 ao lado do marido Frédéric Joliot-Curie.

Enquanto Pierre e Marie ganharam o prêmio por estudos sobre a radiação, Marie ganhou sozinha pela descoberta dos elementos radioativos polônio e rádio. Já Irène e seu marido foram laureados por sintetizar novos elementos radioativos.

http://www.explicatorium.com/Marie-Curie.php
http://www.nobelprize.org/nobel_prizes/lists/women.html
http://www.nobelprize.org/nobel_prizes/nobelprize_facts.html
http://www.terra.com.br/noticias/educacao/infograficos/nobel/
http://www.nobelprize.org/nobel_prizes/physics/laureates/1903/marie-curie.html

Emmy Noether

http://www.agnesscott.edu/lriddle/women/noether.htm

por Prof Helma- Física Postado em Física

Lançamento do Foguete Falcon Heavy

Na mesma plataforma de lançamento de onde o homem partiu para chegar à Lua, ocorreu no dia 6 de fevereiro de 2018  um novo marco da exploração espacial.

O mais poderoso foguete do mundo acaba de ser lançado ao espaço e pode dar início a um novo capítulo da empreitada rumo à primeira missão tripulada a Marte.

Lançamento do Foguete Falcon Heavy

 

Veja ao vivo onde está o Starman em seu Tesla Car !

Acidente em Usina Nuclear – Chernobyl

desastre chernobyl

Chernobyl

 No ano de 1986 aconteceu o pior desastre nuclear da história: o reator 4 da Usina de Chernobyl explodiu. Quem estava na cidade Pripyat, que abrigava grande parte dos trabalhadores da usina, não teve tempo de fazer nada além de fugir. Todas as casas foram evacuadas. Os moradores não puderam levar nada, nem mesmo a roupa do corpo. Tudo o que eles tinham havia sido contaminado pela radiação e eles foram levados a uma escola, tomaram um banho e vestiram um macacão com proteção. Depois, essas 48 mil pessoas esperaram por até dois dias na praça da cidade para que ônibus soviéticos os retirassem de lá e muitas morreram. O lugar é carregado dessas energias, dessa tristeza que o acidente gerou. Hoje em dia todas as visitas são monitoradas e os visitantes tem um tempo limite para permanecer no lugar. O cenário é assustador: nas casas ainda há roupas intactas, objetos em cima dos móveis, louça nas pias, brinquedos no chão. É como se o tempo tivesse parado por lá.

Vejam alguns vídeos sobre o tema:

Vídeo 1-

Interessante matéria do programa “50 por 1”, sobre viagens. Nesse episódio visitam os arredores do reator de Chernobyl na Ucrânia e a cidade de Pripyat onde boa parte dos trabalhadores da usina moravam. A cidade virou cidade fantasma…

clique no link abaixo para ver o vídeo !

http://www.50por1.com.br/episodio_det.php?codeps=MTQw

 

 

Vídeo 2-

Zona de Exclusão do desastre de Chernobyl

Na Ucrânia, turistas visitam área contaminada de acesso restrito.
Reator que explodiu há em 1986 e cidade fantasma fazem parte do roteiro.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/04/g1-acompanha-excursao-pela-zona-de-exclusao-do-desastre-de-chernobyl.html

caso o vídeo não abra, tente diretamente no youtube:

Vídeo 3-

Vídeo 4-

O documentário do link abaixo mostra como está a região de Chernobyl e Pripyat atualmente, também contando um pouco da história deste trágico acidente que marcou a humanidade e até hoje causa danos a muitas vidas.

Reator Nuclear de Pesquisa do IPEN- USP (São Paulo -Brasil)

Exemplos de Aplicações da Energia Nuclear

REATOR IEA-R1

Clique  para ver o Vídeo :  Vídeo Educacional Sobre o Reator IEA-R1 elaborado para o Instituto de Pesquisa de Energia Nuclear – IPEN.

Utilização do Reator

O IEA-R1 é um reator de pesquisa tipo piscina, moderado e refrigerado a água leve e que utiliza elementos de berílio e de grafite como refletores. Projetado para operar a uma potência máxima de 5 MW, este reator, nas primeiras décadas, operou a potência de 2 MW.
Sua primeira criticalidade ocorreu em 16 de setembro de 1957 e, após a fase inicial de testes e comissionamento, passou a operar na potência de 2 MW, segundo um ciclo de 8 horas por dia, 5 dias por semana.
A partir de 1993 passou a operar em ciclos de 64 horas contínuas semanais a 3,5 MW de potência permitindo irradiar materiais com fluxos de nêutrons térmicos de até 8,5×1013 n.cm-2.s-1 e nêutrons epitérmicos e rápidos da ordem de 1013 n.cm-2.s-1, num arranjo de 24 elementos combustíveis padrões, todos fabricados no próprio IPEN.

O reator dispõe de 144 posições de irradiação no núcleo, distribuídas em 15 elementos de irradiação para irradiações longas e um sistema pneumático para irradiações curtas (até 5 minutos). Além disso, possui nove tubos de irradiação horizontais (“Beam Holes”) que fornecem feixes de nêutrons, utilizados em experimentos de física nuclear, física de estado sólido, pesquisas em terapia de câncer por captura de nêutrons em boro (BNCT) e neutrongrafia.
Atualmente, o reator IEA-R1 é utilizado para as seguintes finalidades:

– Produção de radioisótopos para uso em medicina nuclear, tais como: o Samário-153, utilizado como paliativo da dor em metástases óssea e no tratamento de artrite reumatóide; o Iodo-131, utilizado na terapia de câncer de tireóide e hipertiroidismo, na terapia de hepatomas, na localização e terapia de feocromocitomas, neuroblastomas e outros tumores, no estudo da função renal, na determinação do volume plasmático e volume sanguineo total; e o Irídio-192, produzido na forma de fios metálicos, utilizados na técnica de braquiterapia para o tratamento de câncer. Pesquisas estão sendo realizadas para a produção de geradores de Tecnécio-99m, Lutécio-177 e Rênio-188.

– Produção de fontes radioativas para gamagrafia industrial e de radioisótopos para uso como traçadores em processos industriais, como Cobalto-60 (fonte utilizada em gamagrafia industrial), Bromo-82 (na forma de KBr é utilizado para medição de vazão em rios e em efluentes líquidos industriais), Mercúrio-203 (utilizado no controle de processos industriais), Criptônio-79 , Argônio-40 e Lantânio-140 (utilizados na inspeção de tubulações em refinarias de petróleo).

– Irradiação de amostras para a realização de análises multielementares, utilizando a técnica AAN (Análise por Ativação com Nêutrons), em materiais geológicos, produtos industriais como plásticos e resinas, catalisadores, petróleo, metais e ligas metálicas, amostras arqueológicas, tecidos animais e humanos, vegetais, alimentos e amostras ambientais.

– Pesquisas em Física Nuclear;
– Serviços de neutrongrafia;
– Treinamento de pessoal licenciado para operação de reatores.

IBERÊ CAMARGO: UM TRÁGICO NOS TRÓPICOS

A exposição, parceria do CCBB com a Fundação Iberê Camargo, é dedicada ao pintor, gravador, desenhista, escritor e professor gaúcho. Sob a curadoria de Luiz Camillo Osório, professor da PUC-RJ e curador do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, a mostra aborda a questão do Homem, seu corpo e sua existência, marca que percorre sua produção artística desde os anos 1940 até sua morte, em 1994.

Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo

Rua Álvares Penteado, 112 – | São Paulo (SP)(11) 3113-3651/3652

Funcionamento: de quarta a segunda, das 9h às 21h

de 3 de maio a 7 de julho de 2014.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Eclipse total da Lua – 15 de abril de 2014

Aqui em São Paulo, as condições meteorológicas não ajudaram, não foi possível observar o Eclipse.

Acompanhei durante a madrugada as imagens geradas pelo “Griffith Observatory” (em Los Angeles-Califórnia-EUA) e transmitidas pelo canal da NASA.

Abaixo algumas imagens a partir da transmissão ao vivo.

Foi um belíssimo espetáculo !!!

Prof HelmaFisica

Veja como foi o Eclipse Total da Lua (15 de abril de 2014)

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

eclipse foto1

Lua avermelhada durante um eclipse lunar total (Matt King/Getty Images)

 

Visível durante a madrugada do dia 15 de abril

Dicas :

 

– o melhor horário para observar o eclipse será entre 3h e 5h da manhã, quando se visualizará toda a primeira fase parcial e boa parte da totalidade;

-olhar para o lado oeste;

– binóculos ou telescópios amadores podem ser usados, embora o evento seja totalmente visível a olho nu;

– ao contrário dos eclipses solares, neste caso não é necessário adotar nenhuma medida especial de proteção para os olhos.

 

tabela1

 

Um dos principais eventos astronômicos do ano está se aproximando. Na madrugada de terça-feira, 15 de abril, a partir da 1h53 da manhã (horário de Brasília), começa o eclipse total da Lua, aquele em que o satélite fica totalmente encoberto pela parte mais escura da sombra da Terra. O fenômeno poderá ser observado em todo território nacional e marca o início de uma série de eclipses nos próximos dois anos.

A tétrade, como é chamado o conjunto de quatro eclipses totais da Lua que ocorrem em uma sequência de dois anos, termina em setembro de 2015. Esse evento é especial porque eclipses normalmente se intercalam entre totais, parciais (quando a Lua ficaparcialmente encoberta pela parte mais escura da sombra da Terra) e penumbrais (quando a parte mais clara da sombra da Terra encobre a Lua). A tétrade é relativamente rara: no século XXI haverá oito delas, sendo a que se inicia no dia 15 a segunda — a primeira ocorreu de 2003 para 2004, e a terceira será em 2032 e 2033.

Todo o continente americano poderá visualizar oeclipse na terça-feira. Na primeira hora, no entanto, o fenômeno será praticamente invisível a olho nu, pois a Lua estará na parte externa e mais clara da sombra da Terra, a penumbra. A partir das 2h58 (horário de Brasília), o satélite começa a adentrar a umbra, parte central e mais escura da sombra, e poderá ser visto “sumindo”. Essa etapa será concluída às 4h06 da manhã, quando a Lua estará totalmente encoberta pela umbra. Ela permanecerá assim por mais de uma hora, e começará a sair da sombra às 5h24, reaparecendo no céu.

O evento está previsto para chegar ao fim às 7h30, mas antes disso a Lua já terá saído completamente da parte mais escura da sombra, além de estar muito baixado horizonte, dificultando a visão. “No Brasil, o melhor horário para observar o eclipse será entre 3h e 4h30 da manhã, quando se visualizará toda a primeira fase parcial e boa parte da totalidade”, diz Gustavo Rojas, astrofísico da Universidade Federal de São Carlos.

Quem quiser ver o fenômeno deve olhar para o lado oeste.Binóculos ou telescópios amadores podem ser usados, embora o evento seja totalmente visível a olho nu. De acordo com o especialista, ao contrário dos eclipses solares, neste caso não é necessário adotar nenhuma medida especial de proteção para os olhos.

lua-vermelha-eclipse

Luz vermelha em eclipse

Lua vermelha — Mesmo quando estiver totalmente encoberta pela sombra da Terra, a Lua não vai desaparecer no céu — ela ficará um pouco menos brilhante e com um tom avermelhado. No momento do eclipse, a luz do Sol não chega diretamente à Lua. A atmosfera da Terra age como uma lente e desvia alguns raios solares até o satélite. Como a nossa atmosfera tem partículas que espalham mais a luz azul e menos a vermelha, a luz que atinge a Lua é predominantemente vermelha. Esse fenômeno também explica porque o Sol fica avermelhado ao entardecer: nesse momento, a luz está atravessando uma camada mais grossa de atmosfera, de modo que sobra mais luz vermelha.

 Durante um eclipse lunar, a Lua passa por trás da sombra da Terra, a escurece. Se você pudesse dar uma olhada no interior da Terra a partir de sua sombra, você veria que a atmosfera ao redor da borda de todo o planeta brilha em vermelho. Mais uma vez, isso é porque uma grande quantidade de luz da luz azul e verde foi espalhada pela atmosfera, deixando a luz vermelha atravessar em linha reta. Durante um eclipse lunar, a Lua passa totalmente na sombra da Terra não recebendo mais luz diretamente do Sol , no entanto, essa luz vermelha que passa através da atmosfera da Terra chega à Lua, e brilha sobre ela.

 

 Para acompanhar o Eclipse ao vivo (Transmissão da NASA):

 http://www.ustream.tv/channel/nasa-msfc