Água na LUA




” NASA CONFIRMA: ÁGUA NA LUA! ”
     (Publicado por
Sergio Silva, no Jornal do Síndico/Belém-março/98)




A NASA acaba de anunciar que a Lua
possui uma enorme quantidade de água congelada!  A notícia causou grande comoção junto
à comunidade científica internacional. Era só isso que estava faltando para assanhar a
imaginação de todos.
Se a interpretação das informações enviadas pela nave americana de prospecção
estiver realmente correta, cada centavo gasto pelos Estados Unidos no programa espacial
poderá ter sido o mais importante investimento da humanidade em todos os tempos. A existência de água na Lua viabilizaria a construção e manutenção de uma Estação
Lunar, abrindo novas perspectivas para exploração espacial. A possibilidade de
extração do hidrogênio líquido, como combustível para as naves espaciais, e do
oxigênio, indispensável à vida do homem fora de nosso planeta, poderá confirmar o que já foi previsto na ficção.
É fascinante que esses dois gases, altamente inflamáveis, estejam contidos
na
água!

Um dos fatores que tornam essa descoberta tão importante, será o grande aumento de autonomia que as naves espaciais que partirem da Terra poderão ter. Como se sabe, a maior parte do combustível que essas naves carregam, é gasta para que elas

consigam sair do campo de gravidade da Terra, que é muitas vezes maior do que o da Lua.
Assim, a existência de água na Lua permitiria o reabastecimento dessas naves em uma Estação Lunar, para que o homem possa atingir outros pontos do Universo.
Talvez fosse muito mais barato salvar o ecossistema da Terra, para garantir a
sobrevivência da humanidade aqui mesmo. Mas, em sua grande aventura de viver, o homem não resiste aos desafios. Em busca da conquista do Universo, talvez a ciência consiga encontrar algum lugar no espaço infinito, onde a perpetuação da nossa espécie possa continuar, quando os nossos semelhantes estiverem consumando a destruição do nosso planeta, tornando impossível a vida na Terra.
Há uma máxima filosófica garantindo que, “tudo que for possível ser feito, será“! Então, cedo ou tarde, e depende de todos nós, algo assim, como uma Arca de Noé sideral… será o único caminho para a sobrevivência da espécie humana.
A menos que você, conscientizado de que também é responsável, ajude a
impedir a destruição do planeta por motivos criados pelo próprio homem.





Água na LUA

NASA anuncia existência de água na Lua

 

NASA

 

SÃO PAULO – Cientistas da NASA encontraram água na superfície da Lua. Mas calma: quando eles dizem água, querem dizer moléculas.

Apesar de não se tratar dos rios, mares e lagos que normalmente a palavra
“água” pode evocar na imaginação dos terráqueos, a descoberta é um
grande passo para a melhor compreensão da Lua – e quem sabe sua futura
exploração como base de lançamentos para outras regiões do Sistema
Solar.

Instrumentos a bordo de três naves diferentes revelaram moléculas de água em quantidade bem maior do que o previsto – mas ainda assim, um volume
bastante pequeno. Além de H2O, foram encontradas moléculas de
hidroxila, compostas de um átomo de oxigênio e outro de hidrogênio.

O mais interessante é que as moléculas de água estão na superfície lunar,
interagindo com a poeira e com as pedras. Elas foram encontradas em
diversas áreas da região ensolarada da Lua, e sua presença era mais
forte quanto maior a latitude.

Apesar da quantidade não ser conhecida com precisão, a NASA afirma que ela não deve ser muita.
Para se ter uma ideia, se uma tonelada da camada superficial da Lua
fosse recolhida, haveria nela menos de um litro de água.

Imagem
mostra jovem cratera lunar vista pelo instrumento Moon Mineralogy
Mapper, a bordo do Chandrayaan-1 spacecraft. À esquerda, o brilho em
comprimentos curtos de ondas infravermelhas. À direita, a distribuição
de materiais ricos em água (azul) é mostrada o redor da cratera. Foto:
ISRO/NASA/JPL-Caltech/USGS/Brown Univ

M3 descobre partículas de água na Lua

2009-09-24


O M3 foi o instrumento utilizado para esta investigação

Foram
descobertas partículas de água na superfície da Lua, segundo uma nova
investigação cujos resultados foram revelados ontem. Este estudo vem
contrariar as conclusões científicas anteriores, que afirmam que o solo
lunar estaria seco, exceptuando-se o gelo nos pólos.

Os investigadores recorreram a dados fornecidos pelo “Moon Mineralogy
Mapper” ou M3, um instrumento da Nasa transportado a bordo do
Chandrayyan-1, o primeiro satélite indiano a ser colocado em órbita
lunar. Este instrumento de cartografia mineralógica da Lua analisa a
reflexão da luz do sol sobre a superfície lunar com o objectivo de
determinar a sua composição.

A luz é reflectida em comprimentos de ondas diferentes, de acordo com a
natureza dos minerais. A partir daí os cientistas podem utilizar estas
variações para determinar a composição da camada superior do solo da
Lua.

Um comprimento de onda luminoso detectado pelo M3 indica a existência
de um elemento químico que liga o hidrogénio e o oxigénio. Os autores
deste trabalho, que será publicado na Science de 25 de Setembro,
defendem que isso prova a existência de água, formada por dois átomos
de hidrogénio ligados a um átomo de oxigénio.