Salvador Dali e a Física

 

A obra de Salvador Dalí é enorme. Calcula-se que mais de 700 telas tenham sido assinadas por ele.

 

Salvador Dali

 

 

Em várias delas é clara a identificação de temas que tratam da ciência (Física, Matemática, Biologia).

Dalí sempre esteve em constante contato com a ciência. Por exemplo, em 1940, Dalí  escreve  As idéias luminosas, na revista  O Uso da Palavra, onde ele desenvolve uma teoria que se apóia nas idéias dos quanta de Max Planck e revela um homem bem a par dos trabalhos sobre a luz, de Newton a Einstein

Alguns títulos de seus quadros fazem referência direta à Ciência. Algumas palavras que são utilizadas constantemente em Física e aparecem no título de seus quadros são: atômico/atômica, nuclear,  partículas,  desmaterialização,  desintegração,  microfísica,  mesons-pi,  quarta-dimensão, raios cósmicos.

Outra forma de ver esta relação com a Ciência/Física é a observação direta das imagens representadas.

 

Fig. 1. A persistência da memória, Salvador Dalí (1931).

Salvador Dali - A Persistência da Memória

A persistência da memória (Fig. 1) talvez seja o trabalho de Salvador Dalí mais relacionado à Teoria da Relatividade Restrita.

O tema do quadro é o tempo representado pelos três relógios, que significam o passado, o presente e o futuro.

No entanto, esses relógios apresentam-se macios,flexíveis, maleáveis, parecendo fluir pela superfície onde estão localizados. A imagem de relógios moles se repete em várias outras pinturas de Dalí, como em Relógio mole no momento da primeira explosão (Fig. 2),  A desintegração da persistência da memória (1952-54) (Fig. 3)  e Raios cósmicos ressuscitando relógios moles (1965).

 

fig.2- Relógio mole no momento da primeira explosão

Salvador Dali- Relógios Moles

 

Fig 3- A desintegração da persistência da memória (1952-54)

Salvador Dali- A desintegração da Persistência da Memória

 

Esta fluidez ou maleabilidade dos relógios é relacionada à noção de dilatação do tempo da Teoria da Relatividade Restrita.

Em junho de 1905, Albert Einstein (1879-1955) publicou um artigo intitulado “Sobre aeletrodinâmica dos corpos em movimento”, onde expunha a Teoria da Relatividade Restrita. Esta teoria apresentava novas formulações para os conceitos de tempo e espaço, e trazia consequências intrigantes como a impossibilidade da simultaneidade. Tempo e espaço deixavam de ser absolutos e passavam a depender do observador.

Surgiam as expressões dilatação do tempo e contração do espaço.

No quadro, o espaço é representado pelas pedras, pela árvore, por uma figura animalesca (estes em primeiro plano), por uma grande planície, pelo mar, pelas montanhas e pelo céu limpo, ao fundo.

As figuras (espaço) em primeiro plano estão relacionadas de alguma forma com os relógios (tempo).

Na teoria da Relatividade Restrita existe a idéia de uma relação íntima entre o espaço e o tempo, onde o espaço não é independente do tempo, mas se combinam em um contínuum quadridimensional.  Em outras palavras, uma dilatação do tempo está relacionada a uma contração do espaço, idéia essa representada pela plasticidade e curvatura da figura central.

O tempo é impensável sem o espaço, dizem cada um dos meus quadros. Meus relógios moles não são apenas uma imagem fantasista e poética do real, mas esta visão (…) é, com efeito, uma definição mais perfeita de tempo-espaço, que as mais altas especulações matemáticas possam dar”

(DALÍ, 1976).

O conceito de não simultaneidade consiste na constatação, segundo a teoria da Relatividade Restrita, de que dois eventos podem ser observados como acontecendo ao mesmo tempo  (simultâneos) ou acontecendo em instantes diferentes (não simultâneos), dependendo apenas do referencial adotado para a observação. As diferentes horas marcadas pelos ponteiros dos relógios guardam essa sutil revelação da teoria da Relatividade.

O desenvolvimento da teoria da Relatividade no início do século XX trouxe consigo uma nova forma de ver o mundo. A humanidade passou a tomar consciência desta forma de perceber a realidade e os movimentos artísticos desta época foram bastante influenciados por essas teorias.

Salvador Dalí, o maior representante do Surrealismo,  expressou bem esta tendência em suas obras. Procurando comunicar esta nova realidade com uma linguagem própria, ele expressou conceitoscomo o espaço-tempo, a dilatação do tempo, a contração do espaço e a não simultaneidade através de imagens.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s